Imprimir esta página
Interessantes efeitos

 


 
 
 

Estereotipo ou precisão cientifica? Curiosidade, mas outro dia li sobre uma pesquisa que analisa os efeitos do álcool em determinados povos. E passei a querer entender um pouco mais sobre o assunto, terminando nos efeitos do tartufo branco, iguaria Piemontesa. 

A pesquisa internacional, revela que os alemães tendem a ficarem mais “polêmicos”quando bebem, já os Suecos mais “amorosos”. A pesquisa conduzida por “YouGov”em oito países europeus, demostra como os Europeus fazem uso do álcool. Uma característica que os cidadãos da Alemanha, Dinamarca, Finlândia, França, Itália, Noruega, Suécia e Espanha tem em comum é que a bebida mais “popular”ainda é a cerveja, embora alguns “drinks”também sejam apreciados em segunda posição na Alemanha e na França. Já os Italianos preferem o vinho espumante, que aqui chamamos carinhosamente de “bollicine”. A maioria da população europeia experimentaram uma bebida alcoólica entre as idades de 15 e 17 anos. 

A diferença mais evidente na pesquisa, era o comportamento e o efeito diferentes entre cada população derivados da ingestão de álcool. Aproximadamente um de cada quatro alemães que ingeriram álcool reconhecem ficarem mais “polêmicos”ou criarem uma “argumentação”após beberem álcool, já um de cada cinco suecos, demonstram ter feito sexo após a ingestão de álcool.... 

De todos os países entrevistados, os Espanhóis bebem mais frequentemente e acreditam que o álcool tenha benefícios a sua saúde.

Em relação aos Europeus do Norte, os Europeus do Sul tendem a iniciarem a beber já com a idade mais avançada, mas consomem com mais frequência, como se fosse parte da sua vida. Mais de oito Espanhóis afirmam beber todos os dias, e somente 12% dizem ter bebido uma vez ao mês. Os Franceses e Italianos são os consumidores mais frequentes de todos. Em contraste somente 2% dos Finlandeses, Noruegueses e Suecos bebem diariamente, e 22% a 24% bebem menos de uma vez ao mês.

O principal motivo para o consumo de álcool em geral é a ideia que o mesmo pode trazer benefícios a saúde, e sem segundo lugar motivos de comemoração e o paladar da bebida. Alemães, Italianos e Noruegueses gostam de beber para comemorar, já os Dinamarqueses, Finlandeses, Suecos e Espanhóis são motivados pelo sabor da bebida. A maioria da população gosta de beber em casa, já os espanhóis adoram um bar. 

Mas como isto se reflete no povo Brasileiro?

Pouco se sabe como o consumo do álcool reflete no Brasileiro, e nem quais são as principais motivações para seu consumo. Sabe-se o básico, que os homens consomem mais do que as mulheres, e que a bebida ainda mais consumida é a cerveja. Interessante foi descobrir, que o brasileiro, já bebe mais que a média mundial, e que a tendência é aumentar o consumo nos próximos anos. Isto demonstra também que tendencialmente o consumir busca mais informações sobre a bebida que vai ingerir. 

Ainda pensando no mesmo assunto desta matéria, resolvi abordar os efeitos do “tartufo branco”preciosa iguaria encontrada na natureza na região do Piemonte, Itália. Isto porque estamos em plena estação de caça ao tartufo, e este ano com ótimos resultados. Mas o que é o tartufo e quais são os seus efeitos sobre nós ?

Reconhecido como iguaria rara e de grande importância na gastronomia, o tartufo branco sempre despertou grande curiosidade ao apaixonados pelo Piemonte e sua gastronomia. Ao longo dos anos o “tartufo”se difundiu em todos os restaurantes de alta gastronomia no mundo, estrelados ou não. Será um afrodisíaco ou apenas mais uma ferramenta de “marketing”utilizada pela alta gastronomia. Do que se trata este mistério?

Classificação e espécie: “Magnatum Pico”, reino dos cogumelos “funghi”. De cor variando em tons de marrom, diretamente relacionados ao seu estágio de maturidade. Tartufo branco: da espécie chamada Tuber Magnatum.
Características organolépticas: Transmite aromas intensos variando desde alho, feno, terra úmida, mel, cogumelos e ervas. Sabor muito agradável.
Composição química: em 100 gramas de produto, temos quase 83 gramas de água, o restante divididos basicamente entre potássio, proteínas, lipídios, fibras e azoto.
Condições ambientais: Nasce em locais frescos e úmidos em terrenos argilosos-calcário e PH neutro.
Plantas trufarias: Existem uma série de plantas que ajudam o tarfufo a se desenvolver diretamente próximos a sua raiz. Na Itália, tais espécies se concentram em sua grande maioria no Piemonte.
A figura do trifulau: o Trifulau é o “caçador” que comanda os cães na busca do tartufo nos bosques e nos terrenos não cultivados. Em tempos antigos a profissão de “trifulau” era praticada quase que exclusivamente pelos camponeses, que quando terminavam a época de colheita das uvas e de semear os grãos na terra, se dedicavam a caça ao tartufo para ganharem qualquer centavo a mais...
Os segredos do trifulau: Geralmente a profissão de trifulau permanece como vínculo familiar onde os segredos são passados de pai para filho. Diz a lenda que alguns trifulaus eram convencidos de que as diversas fases da lua ajudavam ao desenvolvimento do tartufo....
A escolha do melhor cão para a caça: Não existe uma raça de cães para a caça de tartufo. Devem ter características de cães de caça, para serem idôneos. Nos últimos anos utiliza-se muito a raça “Lagotto” e Labrador no Centro da Itália. O cão deve apresentar ótimo olfato, resistência física, inteligência, tamanho ideal e rapidez em ser adestrado.
Como degustar: Geralmente o tartufo branco deve ser consumido cru, cortado em pequenas e finas fatias para que suas características sejam totalmente desfrutadas. No Piemonte alguns pratos típicos são: tagliatelle al burro com tartufo, carne de “fassona” crua (tipo um tartar de uma raça de boi típica) com salada crua e tartufos.

Os efeitos? Análises demonstram que além de água, o tartufo possui “Androstenol”que é um fenômeno presente na saliva dos suínos masculinos, e que ativam as fêmeas quando ingerem o tartufo para o acasalamento. O mesmo hormônio se encontra presente na urina das mulheres e no suor dos homens. Alguns cientistas afirmam que, também na nossa espécie, este hormônio ativa a parte sexual na nossa espécie, e desta forma atribuem ao tartufo as propriedades afrodisíacas...Verdade ou não? ....

Vale experimentar! Cheers, até a próxima....

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                     

Avalie este item
(0 votos)

Mais recentes de